+55 47 - 99911.4351
O ciclo imobiliário no Brasil. Entenda como funciona.
Sem categoria, 13 jun de 2017
Camboriú Frente Mar
O mercado imobiliário é cíclico. Ou seja, passará por bons e maus momentos. Períodos onde a procura será maior, o que irá resultar em um mercado forte, e períodos onde a procura será menor, e que irá resultar em preços mais baixos. Até aí nada novo, regra básica de oferta e demanda. Mas a pergunta é: Quais fatores influenciam o ciclo imobiliário no Brasil? Então vamos as respostas: Ciclo Econômico Geral – A economia em todo o mundo passa por períodos de crescimento seguidos de recessão. E quando ela vem, o impacto é grande. Alguns lugares do país sentem mais e outros menos. Mas todos sofrem. Durante a recessão, muitas pessoas perdem seus empregos, fecham suas empresas, e muitas vezes precisam vender suas casas para pagar dívidas. Com a necessidade de vender rápido, as pessoas se veem obrigadas a reduzirem os preços, o que resulta em um ambiente de muitas oportunidades para quem está com dinheiro na mão. Uma vez que a economia volta a dar sinais de recuperação, os preços sobem novamente, e o investidor que soube aproveitar bem as oportunidades, vê o seu patrimônio crescer rapidamente.   Ciclo Econômico Local – A economia local, seja de uma cidade ou região, tem o seu próprio ciclo econômico, bem como questões especificas que afetam a oferta e a demanda, e que também influenciam diretamente nos preços dos imóveis. Um exemplo é a cidade de Itajaí, vizinha a Balneário Camboriú, e que possui no setor portuário a sua principal atividade econômica. Se por motivos quaisquer, vir a ocorrer uma crise no setor portuário, a cidade de Itajaí logo sentirá o impacto e poderá entrar em recessão. (Independente do ciclo econômico geral do Pais). Outros motivos podem estar relacionados a eventos ainda mais específicos, como fechamento de grandes empresas, desastres naturais, etc. Ou seja, antes de investir em um determinado local, é muito importante saber quais os fatores que impactam na economia desta região, e quais as tendências para os próximos anos.   É claro que se entrarmos a fundo neste assunto, encontraremos outros fatores, tais como faixa etária da população, déficit habitacional, juros de financiamento, etc. Porém, se nos atentarmos a estes dois principais motivos, certamente estaremos navegando em aguas mais tranquilas.   Obrigado e até o próximo post.